Vivemos em uma crise sanitária sem precedentes. Há um ano, estamos sob a pandemia da COVID-19, que deteriora diretamente as condições de vida e trabalho de toda a população. A crise recai gravemente sobre os profissionais da saúde, que trabalham incansavelmente para proteger nossas vidas, arriscando as suas. A política de desmonte da saúde pública brasileira, com cortes no financiamento do SUS, terceirizações e sucateamento dos serviços, se mostra cada vez mais nefasta. Apesar da vacinação contra a Covid-19 avançar entre profissionais de saúde, o Brasil é um dos países em que mais esses trabalhadores faleceram de covid-19. Os brasileiros e brasileiras representam um terço das mortes da Enfermagem no mundo, concentrando a maior parte delas em São Paulo.. Além disso, por conta do desmonte, não faltam relatos de precariedade nas unidades de saúde: a queixa mais recorrente na plataforma do Conselho Federal de Medicina é a falta de equipamentos de proteção individual e materiais básicos para higienização..

   As jornadas de trabalho na saúde são extensas e excessivas, com plantões que chegam a 12 horas ou 24 horas.  Muitas vezes, os múltiplos vínculos empregatícios aumentam ainda mais a permanência do indivíduo no ambiente hospitalar. Além disso, a  carga de trabalho é emocionalmente desgastante, principalmente no período de pico das mortes e adoecimentos. Vê-se inúmeros afastamentos de funcionários por fatores psicológicos como estresse e depressão, o que além de prejudicar o próprio funcionário, sobrecarrega ainda mais os demais trabalhadores que permanecem em atividade, piorando também a prestação do cuidado em toda a rede de saúde. 

Se você acredita que os profissionais da saúde precisam de mais que aplausos, venha apoiar a luta por condições mínimas de trabalho!

1- Vacinação para TODOS os profissionais de saúde, contratados ou autônomos, em instituições públicas ou privadas, independentemente do vínculo de trabalho. Estagiários e bolsistas também tem direito!

2- Condições de trabalho: equipamentos de proteção individual aprovados pela ANVISA e distribuídos na frequência correta para os contratados.

3 – Condições de trabalho: Sala de descompressão/descanso nos serviços públicos e privados, para todos os profissionais no atendimento clínico, independentemente da categoria de trabalho. 

4 – Segurança: campanhas públicas desencorajando a violência e hostilidade aos profissionais de saúde. 

5 – Contratações JÁ! Vivemos hoje um quadro de sub-dimensionamento na maioria das unidades. Concursos públicos emergenciais na área de saúde! 

Veja nossa política de privacidade. Este site é protegido pelo reCAPTCHA e, por isso, a política de privacidade e os termos de serviço do Google também se aplicam.

Obrigada!