A cidade de São Paulo é construída diariamente por aqueles que acordam cedo e dormem tarde. Durante a pandemia isso não foi diferente, nós trabalhadores ficamos expostos aos riscos de adoecer enquanto os bilionários mantinham seus lucros. Nossa saúde e nossas vidas não importam para Bolsonaro, João Dória ou Bruno Covas, e antes mesmo da pandemia, a violência contra a juventude periférica já demonstrava isso. Para nós, Saúde está no centro da disputa política, e por isso estamos com Luana Alves, porque Nossas Vidas Importam!

Saúde é o reflexo direto das nossas condições de vida e de trabalho. O aprofundamento da crise social e econômica, junto à crise do sistema político, com ataques aos direitos sociais nos últimos anos, têm refletido de forma cada vez mais cruel na piora das condições de vida das pessoas. O aumento do desemprego e dos trabalhos precarizados, a degradação ambiental, a especulação imobiliária, o aumento do preço dos principais itens de consumo e alimentos, o déficit de distribuição de água e acesso a saneamento básico, tudo isso leva ao maior adoecimento. Defendemos saúde como instrumento da emancipação humana e da transformação social e um sistema de saúde público e universal que responda radicalmente as necessidades do povo.

Em um país de estrutura profundamente racista como o Brasil, o Sistema Único de Saúde é uma conquista fundamental para garantir vida e dignidade às pessoas e não à toa sempre esteve sob ataque. A pandemia reforçou sua importância e também expôs a insensatez das políticas neoliberais que desfinanciam o sistema e expõem sua precarização. Não basta apenas defendermos o SUS, precisamos garantir as bases de sua construção como um sistema de saúde de caráter totalmente público, gratuito, integral e equitativo, que respeite a ciência e o conhecimento popular e que valorize os trabalhadores da saúde.

Nós trabalhadores da saúde estamos expostos a sobrecarga de trabalho, déficit de número de profissionais, ausência de insumos e equipamentos de proteção individual, cargas horárias exaustivas, baixos salários, sofrimento físico e psíquico. A pandemia intensificou ainda mais essa realidade, estabelecendo condições de trabalho cada vez mais precárias. Há cada vez mais contratos de gestão via parcerias público-privadas de Organizações Sociais de Saúde (OSSs) e empresas que administram os serviços públicos de saúde, grande parte deles, sem transparência dos repasses financeiros e que exploram os trabalhadores.

Lutar por saúde é lutar por uma realidade melhor para maioria, para os trabalhadores, as mulheres, a população negra e LGBTQIA+. Por isso apoiamos a candidatura para câmara de vereadores de São Paulo de Luana Alves. Luana é feminista negra, educadora popular e, assim como nós, é trabalhadora da saúde e pode fazer na Câmara um trabalho com o conjunto das pessoas e movimentos sociais que defenda um projeto de Saúde radicalizado para os 99%!

Assine em defesa do SUS!

Veja nossa política de privacidade. Este site é protegido pelo reCAPTCHA e, por isso, a política de privacidade e os termos de serviço do Google também se aplicam.

Obrigada! Vamos juntas!