Conheça Luana Alves

Luana Alves é uma feminista negra e trabalhadora da saúde. Ao lado de Sâmia Bomfim e Mônica Seixas constrói o PSOL, o partido que é uma pedra no sapato de Jair Bolsonaro. Aceitou o desafio de ser uma porta-voz da luta antirracista, antifascista, das mulheres, das periferias, das LGBTQIA+ e ocupar a Câmara de Vereadora de São Paulo!

Uma mulher negra do PSOL

Luana Alves é uma feminista negra e trabalhadora da saúde. Ao lado de Sâmia Bomfim e Mônica Seixas – deputadas e líderes das bancadas federal e estadual – constrói o PSOL, partido com parlamentares mais bem avaliados do país, alternativa de verdade contra a velha política. Luana tem orgulho de partilhar com elas a construção de um feminismo antirracista e anticapitalista e das lutas das mulheres em defesa de uma vida digna e de justiça social para todo o povo. O PSOL é também o partido de Marielle Franco, brutalmente tirada de nós há 2 anos e meio. Luana seguirá lutando por justiça para Marielle e defendendo o seu legado. 

Antifascista e antirracista: Fora Bolsonaro!

Luana faz parte daqueles que acreditam que só vamos conseguir sair dessa crise que nos encontramos se Bolsonaro for retirado do poder. Em março desse ano, ao lado de Sâmia Bomfim, Silvio de Almeida, Débora Diniz e muitos outros, assinou o maior pedido popular de impeachment de Bolsonaro, que reuniu mais de 1 milhão de assinaturas. Também foi parte das manifestações antirracistas que tomaram o mundo e chegaram também no Brasil, gritando por “Vidas Negras Importam” e contra o genocídio do povo negro nas periferias.

Uma jovem trabalhadora da saúde

Psicóloga especializada em Saúde Coletiva e Atenção Primária, Luana entende a necessidade de fortalecer o SUS com recursos públicos, a serviço da vida e não das empresas que buscam lucrar com a saúde. Nos últimos anos, trabalhou em UBS’s da região oeste, em especial do Butantã, onde mora hoje. Defende uma abordagem antirracista nas políticas em saúde mental, de acordo com os princípios da universalidade, equidade e integralidade do SUS.

Uma lutadora por mais negros e negras na universidade

Luana se formou psicóloga pela USP. Lá atrás, quando entrou na universidade, era uma das poucas negras. Foi representante dos estudantes no Conselho Universitário quando, depois de muita luta, o movimento negro e estudantil conquistou a histórica aprovação de cotas raciais e sociais na universidade. Hoje, vemos negras e negros, jovens das periferias ocupando as salas de aula, acessando e produzindo conhecimento. 

Uma educadora popular

A sua experiência trabalhando e morando nas periferias de São Paulo também a levaram a integrar a Rede Emancipa de educação popular, movimento que organiza cursinhos gratuitos que proporcionaram o acesso de milhares de estudantes de escolas públicas às universidades.

Uma de nós

Luana Alves acredita na educação popular e no cuidado em saúde emancipador como ferramentas para a transformação. Quer, junto de todas e todos, construir uma cidade com as periferias no centro, uma São Paulo dos trabalhadores, da negritude, das mulheres, das LGBTQIA+! Para pôr do avesso uma Câmara Municipal dominada por homens brancos que representam a velha política e os interesses de empresários, máfias e elites paulistanas, queremos  ajudar o PSOL a crescer elegendo a primeira mulher negra do partido para vereadora!